Presente do TUBA -

Presente do TUBA -

" Não é a força ,mas a constância dos bons sentimentos que conduz o homem à felicidade".Nietzsche

" Não é a força ,mas a constância dos bons sentimentos que conduz o homem à felicidade".Nietzsche

terça-feira, 13 de novembro de 2007

ALCOOLISMO.FOTO NO DIA DO LANÇAMENTO.

ALCOOLISMO.
“O álcool é a terceira causa maior de faltas ao trabalho e compromete 5% do PIB (Produto Interno Bruto) de nosso país. Mais: 54% dos acidentes de trabalho são causados por trabalhadores alcoolizados, 40% dos suicídios são provocados pelo abuso do álcool, 52% das agressões dentro do lar são produzidas por esse ingrato inimigo das famílias,
90% das internações em hospitais psiquiátricos são causadas por ele”. Fonte: Wellington Balbo






Mais da metade dos alcoólatras que resolve parar de beber, pedir ajuda, se tratar...chega até o A.A ., Alcoólicos Anônimos, pela dor te terem perdido a família.Só que antes de perdê-la, perderam os amigos; não os dos bares, esses não fazem jus ao significado verdadeiro da palavra.Falo daqueles que tentam incessantemente afastar o alcoólatra dos bares.
Nesse processo de perda, começam perdendo o emprego, devido a inúmeras faltas no trabalho – empresa nenhuma aceita empregado irresponsável.
Perdem também, o respeito da família, porque as agressões tanto verbais como físicas, se tornam uma constante em suas vidas.
A família é a última a abandoná-lo.Todavia, não pensem que ela simplesmente toma essa decisão, apenas porque o alcoólatra chegou em casa, uma, duas ou três vezes em estado de embriaguez.Quando chega a triste fase do abandono é porque a família esgotou todas as alternativas possíveis e imagináveis para que ele se veja o quanto o álcool está destruindo a todos.
Só quem convive com um alcoólatra sabe na verdade o que realmente acontece no seu dia-a-dia.As pessoas que não vivenciam essa situação, apenas têm uma noção remota do quanto o alcoolismo afeta a vida dos que o cercam, sem contar com a deles.
Quando se gera um filho, e que o mesmo se torne um alcoólatra, no curso natural da vida, chegará à fase adulta e se casará, envolvendo assim mais uma pessoa na dura batalha da recuperação do mesmo, o cônjuge.
Esse por sua vez, por mais amor que tenha pelo alcoólatra, após insistentes pedidos e atos para que o mesmo abandone o vício, sentirá o amor que os uniu, dando passagem ao total sentimento de impotência diante dessa doença.
O amor da família é peça fundamental para afastá-lo do álcool.Entretanto, se o ele não querer se afastar, de nada adianta todo amor depositado nele.

O alcoolismo é uma doença, onde na maioria das vezes o paciente não quer ser tratado, levando a família a adoecer juntamente com ele.
Essa doença deixa marcas profundas no corpo e principalmente na alma das pessoas que convivem com um alcoólatra.
Afirmo que: as desconfianças, as brigas, as agressões físicas e verbais, são lembranças que o tempo ameniza, mas que jamais apaga dos corações dos envolvidos.

OBS.ESCREVI ESTE ARTIGO PARA PARTICIPAR DA COLETÂNEA "PERCEPÇÕES".ORGANIZADA POR IVONILSON MAGALHÃES, NO ANO PASSADO.
Cármen Neves

5 comentários:

Adao Braga disse...

Cheguei em casa bêbado a segunda vez, e esperei que meu pai fosse me dar aquela surra.

Ele sentou-se e minha mãe trouxe-lhe o prato. Ele lavou as mãos, e dirigindo-se a mim perguntou:

- Quantas vezes você já me viu bêbado?
- Nunca!
- Então faça o favor, que enquanto morar na minha casa isso não repetir.

Nunca mais bebi!

Cármen Neves disse...

Fizeste bem.Tu não tens noção do mal que a bebida faz.Grata pela visita!

Murdock disse...

É você na foto? Parece diferente.
Eu não bebo e sou chamado de ovelha negra da família por isso. Quando digo que não bebo me olham assustados, às vezes parece até que ofendi alguém, sempre tenho que explicar por que não bebo. Vou passar a perguntar por que bebem.
Se tiver paciência, procure o texto sobre o Jorge no meu blog.
Bjs

Cármen Neves disse...

Então estou diferente? risos Será que estou melhor agora, ou na foto? Quanto a não beber, PARABÉNS! Ganhaste a minha admiração! Passarei lá e comentarei. Grata pela visita!

Anônimo disse...

intiresno muito, obrigado