Presente do TUBA -

Presente do TUBA -

" Não é a força ,mas a constância dos bons sentimentos que conduz o homem à felicidade".Nietzsche

" Não é a força ,mas a constância dos bons sentimentos que conduz o homem à felicidade".Nietzsche

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Resposta ao desafio do Sam.


















O comentário do Sam, ao meu texto “ Um mundo, uma vida” – blogagem coletiva, Direitos Humanos.


“Já tinha passado pelo seu blog anteriormente mas, desta sou levado a comentar, nem que seja pelo bom senso de quem iniciou essa campanha.
Pessoalmente, o que me custa, é que entendo as agressões físicas e psíquicas como consequência de ciclos viciosos que se iniciam e que dificilmente são travados.
Entendo, mas não aceito. O problema, na minha ótica, é que as pessoas que entendem aceitam, quando deveríamos criar um sistema que, ao invés de meter todos na mesma cadeia, ensinando uns aos outros, deveríamos dar tratamento diferente às necessidades diferentes de cada um.
Quero te agradecer pelo seu texto, na medida em que você conseguiu enumerar quatro faces de um dos maiores males da sociedade moderna: a violência (física do espancamento, sexual, coletiva da guerra e económica e da fome).
Obrigado por um texto que, claramente discerne as quatro.
Se me permite, deixo o desafio: quais seriam as medidas a tomar para que, salvaguardando os direitos humanos, algumas dessas tragédias que assolam o nosso passado sejam eliminadas?”
A minha resposta ao comentário:

Sam - Primeiramente, grata pela visita e comentário. EU TAMBÉM ENTENDO E ASSIM COMO TU,NÃO ACEITO que maldades como essas aconteceram, acontecem e infelizmente acontecerão. Aceito o desafio. Escreverei um post durante essa semana como resposta. Ok! Um abraço.
Sam , o teu desafio foi aceito de pronto! Porém, me perguntei ao escrevê-lo, a razão do mesmo - acho que o meu texto não estava completo. Deve ser porque essa foi a minha primeira participação em blogagem coletiva. Risos
Na verdade não considerei a tua pergunta como um desafio. Apenas como uma pergunta que queres a resposta. Então, eis a minha resposta:


A imagem diz tudo! Sem Ele NADA TEM SENTIDO e, o mundo vira um caos, onde a MALDADE impera.

A minha contribuição para que o mundo, pelo menos por onde passo se torne melhor é PRATICANDO e ENSINANDO O BEM; SENDO JUSTA E ABOLINDO A MALDADE, SEMPRE. NÃO ACEITO QUE NINGUÉM, INCLUSIVE E PRINCIPALMENTE OS FAMILIARES, SIGAM O CAMINHO DO MAL. DOU EXEMPLO! Seguramente os meus filhos não cometerão atos que eu possa me envergonhar. DIFICILMENTE uma criança que tenha recebido, carinho, amor, compreensão, bons exemplos e puxões de orelha quando fizeram algo errado e, os ensinamentos de DEUS, serão adultos voltados a praticar o MAL. Serão adultos justos, éticos e JAMAIS passará em suas cabeças, mesmo enfrentando dificuldades, PRATICAR O MAL. Quando digo mal, quero dizer em geral, dos menores como, puxar o tapete do colega de trabalho para subir dentro de uma empresa, até os maiores como, ASSASSINATO e o INACEITÁVEL PARA MIM: ESTUPRO/PEDOFILIA.


Direitos Humanos. O próprio nome diz tudo!
Direitos – Direitos a muitas coisas, INCLUSIVE VIVER. Não diz que dá direito a tirar a vida, ou cometer atrocidades.

Humanos - Perdoa-me, mas não considero humanos MONSTROS COMO OS PEDÓFILOS. Como mencionei anteriormente no meu texto, NÃO ENCONTRO PALAVRAS PARA DIZER O QUE SINTO QUANDO LEIO NOTÍCIAS DE PEDOFILIA. Sinto REVOLTA E DOR NO MEU CORAÇÃO. AINDA MAIS QUANDO O MONSTRO, É O PRÓPRIO PAI, OU UM PARENTE.
Há também o caso do “PASTOR” SILVIO GALIZA, que ESTÁ SOLTO E RINDO DE TODOS NÓS.

Para quem não sabe, ou não se lembra, SILVIO GALIZA, É O ESTUPRADOR E ASSASSINO DO MENINO DE QUATORZE ANOS, LUCAS TERRA.
Lucas foi QUEIMADO VIVO, no dia 21.03.2001. Ele foi AMARRADO E AMORDAÇADO para não gritar e colocado dentro de uma caixa de madeiret. CARBONIZARAM SEU CORPO PARA ENCOBRIR OS VESTÍGIOS DE PEDOFILIA, COMETIDO PELO SEU ALGOZ, SILVIO GALIZA.

O crime é hediondo e triplamente qualificado. Os promotores do Ministério Público da Bahia pediram a prisão preventiva do ASSASSINO, MAS O JUIZ NÃO QUIS PRENDÊ-LO.
- Será que esse juiz quer que aconteça com os seus filhos, os seus netos, ou com os seus parentes o mesmo que aconteceu com o LUCAS TERRA? Acho que sim.

- Alguém me responda, por favor!

Bem, os Direitos Humanos foi criado e, já que está aí, acho que deveria também, ser criado o DIREITO A LINCHAMENTO PARA OS CASOS DE ESTUPRO. A COMEÇAR PELOS PEDÓLIFOS.
Ah! Estou fugindo ao tema da blogagem? Não. Se MONSTROS TÊM DIREITOS, ESSES SÃO OS DIREITOS QUE DEVEM TER: JUSTIÇA E, SE FOR PRECISO PARA DAR EXEMPLO E PARA QUE Nenhum outro PENSE EM COMETER UMA BARBARIDADE DESSAS, LINCHAMENTO. Duvido que se um estuprador fosse linchado, os demais fariam o mesmo.

A maioria dos estupradores é casada e têm filhos e filhas: onde muitas são suas vítimas. A punição deveria ser mais severa com eles.

"Ah! Devemos dar chance aos estupradores".EU DIGO NÃO.
Sei que o texto teve como foco os estupradores e os pedófilos, mas não consigo fugir deles. É DESUMANO O QUE ELES FAZEM.

Espero que tenha respondido a tua pergunta.

5 comentários:

SAM disse...

Minha cara, sobretudo, obrigado pela atenção.

Concordo plenamente contigo quando você diz que os Direitos Humanos são uma conquista de cada cidadão que, ao merecê-los usufrui deles. Também concordo, ao mínimo detalhe, que a educação dotada de virtudes e valores, no caminho Certo é uma educação propensa a criar seres humanos dotados de respeito pelos demais.

Mas, tenho as minhas dúvidas sobre o tratamento dos violadores sexuais. Nós podemos dizer que se cortarmos a mão aos dez primeiros ladrões da cidade, os que, posteriormente, ponderem roubar ou furtar, pensarão bem antes de tomar essa decisão. No entanto, no caso da violação não estamos falando de pessoas ditas "normais", mas de pessoas cujo desenvolvimento moral e também mental não ocorreu adequadamente.

Estas pessoas precisam de tratamento próprio, específico e diferenciado. Não podem ser tratados como criminosos conscientes e decisores responsáveis.

Seja como for, tanto o exemplo da mão cortada dos ladrões como o linxamento dos violadores são exemplos válidos de manutenção dos Direitos Humanos. Se fizermos com eles aquilo que eles fazem conosco, isto é, retirar-lhes os seus direitos mais básicos, estaremos, nós mesmos, a retirar-nos uma coisa ainda mais vital: a nossa própria humanidade.

Ao tratar de "monstros", como bem os poderíamos designar, creio que deveremos saber ser "belos" e ensinar-lhe o caminho Certo de Buda, de Jesus, de Bahá'u'lláh e de tantas outras manifestações divinas que sempre nos ensinaram o bem e o amor ao próximo.

Caso contrário, seremos tão monstros como eles.

Mas, mais uma vez, só tenho que agradecer a sua bela reflexão, dotada da mais sincera preocupação pelas crianças, as vítimas mais indefesas da sociedade. Concordo contigo: a justiça deve ser feita!

Obrigado.

Adao Braga disse...

Quanto aos direitos humanos, gostaria que os direitos humanos do nosso Brasil, fosse tratado assim:

- Os direitos humanos, são para todos os humanos, porém, se os direitos humanos defenderem os direitos de quem transgrediu os direitos de outro humano, receberá a mesma pena do transgressor!

Andréa Motta disse...

Concordo que casos como o descrito em seu post são dignos de todo o nosso terror, mas pergunto-me se, agindo com violência igual, não nos igualamos àqueles que sequer merecem ser chamados de humanos. O que nos falta é a revisão de nosso Código Penal e o cumprimento das leis já existentes.
Concordo com o Sam, quando ele diz não podemos perder a nossa própria humanidade, uma vez que é isso o que nos diferencia dos animais: os de fato e o que assim se tornaram.

Beth disse...

Não gosto e não faço blogagens coletivas, mas esse tema de Direitos Humanos em muito me agrada. Lerei com calma esse post e a resposta em outro post acima.

beijos

Ella disse...

Então para não perder a nossa própria humanidade devemos acatar a tudo que nos vem acontecendo, de nos afligir...
Será que assim não perderemos também a nossa inteligência, a nossa dignidade ao aceitar toda opressão, o nosso senso de solidariedade, o nosso senso da justiça, o nosso amor à humanidade...
O nosso equilibro…
Será?